quarta-feira, 24 de outubro de 2007

O Segredo – O Dossiê do cético nerd




Nota Posterior: Widson Porto Reis, um dos responsáveis pelo excelente site cético “Projeto Ockham”, publicou em seu Blog “O Dragão da Garagem” um minucioso guia cético sobre o segredo (apontando todos os equívocos e falsas verdades do pseudo-documentario). O artigo está dividido em 3 partes, e está magnífico. Vale muito a pena conferir!!Parabéns ao Widson, que teve estomago para encarar essa merda de “O Segredo” e compartilhar com os outros mortais (meu intento inicial era realizar um trabalho como o dele, mas não aguentei assistir nem 5 minutos de “O segredo” :P)!!


O segredo foi descoberto, o segredo foi escondido, o segredo foi revelado... e agora... O SEGREDO SERÁ ESCULHAMBADO!!


O Segredo é a mais recente praga da auto-ajuda a infestar o mundo. Basicamente, o que a obra promete é qualquer merda que você queira, bastando pensar nela por tempo suficiente e da maneira correta. Usando ciência (deturpada pra caber no contexto), pseudociência e um monte de baboseiras New Age, O Segredo (tanto o “filme” quanto o “livro”) se tornaram Best-sellers.
As grandes mídias foram (ao meu ver) bastante complacentes em sua postura perante esse livro, e eu senti falta (mesmo) de alguma revista torturando sem piedade tal obra. Como ninguem aparentemente fez "o serviço", acabei eu mesmo dando minha contrinuição...
Esse "Dossiê" contem na verdade bem pouco material escrito por mim, me restando o trabalho de apenas anexar algumas coisas e organizar o material. Boa leitura!

1- Uma crítica realmente boa de O Segredo

A única crítica realmente decente que lembro de ter lido sobre essa “obra” foi postada por um “Xará” que também é nerd. Leiam a critica dele antes de seguir adiante (ela é essencial no dossiê). Neste outro blog também tem um resumo supimpa (bom para entender as teses centrais do livro).

2 - Porque as pessoas consomem auto-ajuda?

O segredo não seria um sucesso se as pessoas já não tivessem “predisposição” para acreditarem no tipo de conteúdo que a obra veicula. Anexarei aqui trechos de dois livros falando do assunto (Livros estes que realmente merecem ser comprados e lidos). O primeiro trecho é do livro “O mundo assombrado pelos demônios”, do astrônomo e divulgador da ciência Carl Sagan (já falecido). Nesta parte em especifico, ele conta como um mágico amador e o caça-fraudes James Randi fizeram de besta a Austrália* com esse papo de auto-ajuda. Confira:

Numa terra distante nos mares do Sul, começou a circular a noticia de um sábio, um homem que curava doenças, um espírito encarnado. Ele podia falar através do tempo. Era um mestre ascenso. Ele estava vindo, diziam. Ele estava vindo...


CARLOS
EM BREVE
NA AUSTRÁLIA

Aqueles que o viram jamais esquecerão. O jovem e brilhante artista que lhes falava de repente parece vacilar, o seu pulso diminui de forma perigosa e virtualmente se detém no ponto da morte. O assessor médico qualificado, que tem a tarefa de exercer uma vigilância constante, está prestes a soar o alarme.

Mas nesse momento, com uma explosão de fazer bater o coração, sente-se o pulso de novo - mais rápido e mais forte do que nunca. A força vital claramente voltou ao corpo - mas a entidade dentro do corpo já não é Jose Luis Alvarez, o jovem de dezenove anos cuja original cerâmica decorativa é destaque em algumas das casas mais ricas da América do Norte. Em seu lugar, o corpo foi assumido por Carlos, uma alma antiga, cujos ensinamentos constituem tanto um choque como uma inspiração. Um ser passa por uma espécie de morte para dar lugar a outro; esse é o fenômeno que tornou Carlos, canalizado por meio de Jose Luis Alvarez, a nova figura dominante na consciência da Nova Era. Como disse até um crítico cético de Nova York: “O primeiro e único caso de um canalizador que apresenta provas físicas tangíveis de alguma mudança misteriosa em sua fisiologia humana”.

Agora Jose, que já passou por mais de 170 dessas pequenas mortes e transformações, recebeu ordens de Carlos para visitar a Austrália – nas palavras do Mestre, “a antiga terra nova” que deve ser a fonte de uma revelação especial. Carlos já previu que, em 1988, muitas catástrofes vão assolar a Terra, dois importantes lideres mundiais morrerão e, mais para o fim do ano, os australianos estarão entre os primeiros a ver o nascimento de uma grande estrela que terá profunda influencia sobre a vida futura na Terra.

DOMINGO 21
15:00
ÓPERA
TEATRO DRAMÁTICO

Num acidente de motocicleta em 1986, explicava o kit da imprensa, Jose Alvarez - então com dezessete anos - sofreu uma concussão leve. Depois de sua recuperação, aqueles que o conheciam podiam ver que ele tinha mudado. As vezes emanava dele uma voz muito diferente. Desnorteado,Alvarez procurou a ajuda de um psicoterapeuta, um especialista em desordens de múltipla personalidade. O psiquiatra “descobriu que Jose estava canalizando uma entidade distinta que era conhecida como Carlos.Essa entidade assume o corpo de Alvarez quando a força vital do corpo é relaxada até o grau apropriado. Carlos, veio a se saber, é um espírito desencarnado de 2 mil anos, um fantasma sem forma corpórea, que invadiu pela última vez um corpo humano em Caracas, Venezuela, em 1900.Infelizmente, esse corpo morreu com a idade de doze anos devido a uma queda de cavalo. Essa pode ser a razão, explicou o terapeuta, de Carlos ter sido capaz de entrar no corpo de Alvarez depois do acidente de motocicleta.Quando Alvarez entra em transe, o espírito de Carlos, focalizado por um grande e raro cristal, assume o corpo e profere a sabedoria das eras.

Junto com o kit de imprensa, vinham uma lista das principais apresentações em cidades norte-americanas, um videoteipe da tumultuada recepção dada a Alvarez/Carlos num teatro da Broadway, a sua entrevista na estação de rádio WOOP de Nova York, e outras indicações de que ali estava um formidável fenômeno norte-americano da Nova Era. Dois pequenos detalhes comprovadores. Um artigo de um jornal do sul da Flórida afirmava:
“NOTA DO TEATRO: A temporada de três dias do canalizador Carlos foi prorrogada no Auditório do Memorial da Guerra [...] em resposta aos pedidos de novas apresentações”. E um trecho extraído de um guia de programas de televisão listava um especial sobre “A ENTIDADE CARLOS: Esse estudo em profundidade revela os fatos por trás de uma das
personalidades mais populares e controversas da atualidade”.
Alvarez e seu empresário chegaram a Sydney na primeira classe da Qantas. Viajaram por toda parte numa enorme limusine branca. Ocuparam a suíte presidencial num dos hotéis mais prestigiados da cidade. Alvarez trajava uma elegante bata branca com um medalhão dourado. Na primeira entrevista concedida à imprensa, Carlos imediatamente apareceu. A entidadeera vigorosa, instruída, dominadora. Os programas de televisão australianos logo se candidataram a apresentações de Alvarez, com seu empresário e seu enfermeiro (para checar o pulso e anunciar a presença de Carlos).No Today Show da Austrália, eles foram entrevistados pelo apresentador George Negus. Quando Negus fez algumas perguntas céticas e racionais, os adeptos da Nova Era mostraram-se muito sensíveis. Carlos lançou uma maldição contra o apresentador. O empresário encharcou Negus com um copo de água. Ambos se retiraram altivamente do local da entrevista.
Foi um escândalo na imprensa sensacionalista, e repercutiu sob várias formas na televisão australiana. “Explosão na TV: água contra Negus”, era a manchete da primeira página do Daily Mirror em 16 de fevereiro de 1988. As estações de televisão foram inundadas de telefonemas. Um cidadão de Sydney avisou que a maldição contra Negus deveria ser levada a sério: o exercito de Satã já assumira o controle das Nações Unidas, dizia ele, e a
Austrália poderia ser a próxima vítima.
A aparição seguinte de Carlos se deu na versão australiana de A current affair. Também compareceu ao programa um cético que descreveu um truque mágico capaz de causar uma breve parada do pulso numa das mãos: é só colocar uma bola de borracha sob a axila e aperta-la. Quando a autenticidade de Carlos foi questionada, ele ficou ofendido: “Esta entrevista está terminada!”, berrou.
No dia marcado, o Teatro Dramático da Ópera de Sydney estava quase lotado. Uma multidão excitada, de jovens e velhos, movia-se expectante. A entrada era franca - o que tranqüilizava aqueles que se perguntavam vagamente se o espetáculo não poderia ser uma fraude.
Alvarez sentou-se num sofá baixo. Seu pulso foi monitorado. De repente,parou. Aparentemente, ele estava perto da morte. Ruídos baixos e guturais emergiam de suas profundezas. A platéia estava boquiaberta de admiração e terror. De repente, o corpo de Alvarez adquiriu força. Sua postura irradiava confiança. Uma perspectiva ampla, humanitária e espiritual fluiu da boca de Alvarez. Carlos estava presente! Entrevistados mais tarde, muitos membros da platéia confessaram ter ficado comovidos e encantados.
No domingo seguinte, o programa mais popular da TV australiana - chamado Sixty minutes em alusão a seu equivalente norte-americano -revelava que o caso Carlos era uma brincadeira, do começo ao fim. Os produtores acharam que seria instrutivo verificar com que facilidade se poderia criar um guru ou um curandeiro da fé para enganar o público e a mídia. Assim, naturalmente, eles entraram em contato com um dos principais especialistas em enganar o público (pelo menos, entre os que não detém cargos políticos, nem os assessoram) - o mágico James Randi. (...)
Sagan, C. "O Mundo Assombrado
Pelos Demônios". (páginas 195 a 198)

Apesar de não estar na integra, o trecho destacado mostra bem como as pessoas são facilmente enganadas. O ideal é ler o capitulo inteiro que conta esse “causo” (melhor ainda: ler o livro inteiro).O referido livro pode ser Baixado neste link. A “edição de bolso” dele está com um ótimo preço (na faixa dos 20 merréis); excelente investimento por um precinho camarada.
O segundo trecho é do ótimo livro “O mundo de Sofia”, que dá um resumão legal de toda a história da filosofia. No trecho abaixo o professor de filosofia de Sofia opina sobre o fenômeno dos livros de auto-ajuda (não estranhem o português: a versão que lerão é a lusitana :P).

Atravessaram o parque em frente à igreja e chegaram à rua principal. Alberto estava ligeiramente nervoso e, naquele momento, apontou para uma livraria. Chamava-se Libris e era a maior da cidade.
- Queres mostrar-me alguma coisa aqui?
- Vamos entrar.
Na livraria, Alberto apontou para a estante maior. Tinha três secções: NEW AGE, ESTILOS DE VIDA ALTERNATIVOS E MISTICISMO.
Nas estantes, havia livros com títulos muito empolgantes: “Haverá Vida para Além da Morte?, Os Segredos do Espírito, Tarot, O Fenômeno OVNI, Healing, O Regresso dos Deuses, A Reencarnação, O Que é a Astrologia?”, e muitos outros. Havia mais de cem títulos diferentes. Sobre um banco via-se uma pilha de livros semelhantes.
-Isto também é o século XX, Sofia. Este é o templo do nosso tempo.
- Não acreditas nestas coisas?
- Muito disto é absurdo, mas vende tão bem como pornografia. De fato, muito do conteúdo destes livros pode ser definido como uma espécie de pornografia. Aqui, os jovens podem comprar exatamente aquilo que mais lhes interessa. Todavia, a relação entre a verdadeira filosofia e estes livros é comparável à relação que existe entre o amor verdadeiro e a pornografia.
- Não estarás a exagerar?
- Vamos sentar-nos no parque.
Saíram da livraria e encontraram um banco livre em frente à igreja. Debaixo das árvores, alguns pombos pavoneavam-se e havia um ou outro pardal agitado.
- É a parapsicologia ou PES - explicou Alberto. - Ou "telepatia", "clarividência", "psicocinética", ou "espiritismo", "astrologia" e "ovnilogia".
- Mas diz-me: achas que isso é tudo uma fraude?
- Não seria digno de um filósofo tratar tudo da mesma maneira. Mas não quero excluir a hipótese de que os termos que referi possam formar um mapa bastante detalhado de uma paisagem que não existe. E há muito daquilo a que Hume chamava "ilusão e engano" e queria lançar às chamas. Em muitos destes livros não se encontra uma única experiência autêntica.
-Mas então porque são escritos tantos livros deste gênero?
- É um dos negócios mais lucrativos do mundo e é isto que muitas pessoas gostam
de ler.
- E porque é que achas que gostam de ler estas coisas?
- Porque sentem um desejo de algo "místico", de algo "diferente" que quebre a monotonia do quotidiano. É andar à procura de uma coisa que está à frente do nariz.
- O que queres dizer?
- Fazemos parte de uma aventura maravilhosa. Em frente a nós há uma obra, a criação. À luz do dia, Sofia! Não é inacreditável?
- Sim.
- Porque havíamos de ir à procura da cigana que lê a sina ou de saguões acadêmicos para experimentar algo de "empolgante" ou "transcendente"?
- Achas que aqueles que escrevem estes livros contam apenas mentiras?
- Não, não foi isso que eu disse. Vou-te explicar de um modo darwinista.
- Estou a ouvir!
-Pensa em tudo o que se passa no decorrer de um único dia. Limita-te a um dia da tua vida. Pensa em tudo o que vês e experimentas.
- Sim?
- Por vezes, há coincidências estranhas. Entras numa loja, por exemplo, e gastas vinte e oito coroas. Mais tarde encontras Jorunn que te restitui as vinte e oito coroas que lhe tinhas emprestado, finalmente vão ao cinema e dão-te o lugar número vinte e oito.
- Sim, seria uma estranha coincidência.
- Mas seria uma coincidência. A questão é que algumas pessoas “recolhem” coincidências deste tipo. Reúnem-se experiências misteriosas ou inexplicáveis e quando elas, fruto da vida de alguns milhares de pessoas, são reunidas num livro, podem dar a impressão de ser um imponente material de prova. E o material aumenta constantemente.
Mas neste caso, também estamos perante uma loteria onde apenas os bilhetes vencedores são visíveis.
- Não há pessoas videntes ou "médiuns" que têm experiências destas constantemente?
- Sim, há. E se excluirmos os vigaristas, encontramos também uma outra explicação para essas experiências místicas".
-Diz!
- Recordas que falamos de Freud e da sua teoria do inconsciente?
- Quantas vezes tenho de te dizer que a minha memória é boa?
- Já Freud mostrara que muitas vezes nos podemos comportar como se fôssemos médiuns do nosso inconsciente.
Podemos fazer ou dizer coisas de repente sem conseguirmos compreender o porquê. O motivo disso é o fato de nós termos mais experiências, pensamentos e recordações do que aqueles de que temos consciência.
- E então?
- Por vezes, as pessoas falam ou andam enquanto dormem. Chamamos a este gênero de fenômenos "automatismo psíquico". Mesmo sob hipnose, os homens podem dizer ou fazer coisas que sucedem "por si".
E lembras-te dos surrealistas, que tentavam escrever "automaticamente". Tentavam tornar-se assim médiuns da sua própria consciência.
- Ainda me lembro disso.
-Com intervalos regulares, neste século, surgem notícias de homens, de médiuns, que conseguem entrar em contato com defuntos. Falando com a voz do morto, ou servindo-se da escrita automática, o médium receberia uma mensagem de um ser humano que tinha vivido há muitos séculos. Estes fatos são usados como prova de que existe uma vida além da morte ou de que um homem vive muitas vidas.
- Compreendo.
- Não estou a dizer que todos estes médiuns sejam vigaristas: alguns agiram de boa fé. De fato, foram médiuns, mas do seu inconsciente.
Houve bastantes médiuns que em estado de transe mostraram capacidades e conhecimentos que nem eles próprios nem os outros sabiam explicar. Por exemplo, uma mulher que não sabia hebraico, começou a falar nessa língua. Das duas uma: ou tinha vivido uma vida anterior ou estava em contato com o espírito de um morto.
- O que te parece?
- Soube-se depois que a mulher tinha tido uma “baby-sitter” judia quando era pequena...
- Ah...
- Ficaste desiludida? De qualquer modo, é fantástico ver até onde vai a capacidade de algumas pessoas de acumularem no inconsciente experiências anteriores.
- Compreendo o que queres dizer.
-Muitas coisas estranhas quotidianas também podem ser explicadas à luz da teoria do inconsciente. Se recebo uma chamada de um amigo que não vejo há muitos anos, justamente quando estava à procura do seu número de telefone...
- Sinto um arrepio...
-A explicação pode ser, por exemplo, que ambos ouvimos uma velha canção na rádio, uma canção que ouvimos juntos na última vez que nos vimos. O ponto fundamental é o fato de esta relação oculta não ser consciente...
- Então, ou é trapaça ... ou o truque do bilhete vencedor na loteria... ou o inconsciente?
- De qualquer modo, é melhor aproximarmo-nos com ceticismo destas estantes, principalmente para um filósofo. Em Inglaterra existe uma associação dos cépticos. Há muitos anos, esta associação ofereceu uma grande soma de dinheiro à primeira pessoa que conseguisse um único exemplo verificável de uma coisa sobrenatural. Não era necessário ser um milagre, bastava um pequeno exemplo de transmissão de pensamento. Até agora, ninguém se apresentou.
- Compreendo.
- Uma coisa completamente diferente é admitirmos que há muitas coisas que não compreendemos. Talvez não conheçamos ainda todas as leis da natureza. No século passado, muita gente considerava o magnetismo e a eletricidade como uma espécie de magia. Aposto que a minha bisavó abriria os olhos de espanto se eu lhe falasse da televisão ou dos computadores.
- Então não acreditas em nada de sobrenatural?
- Já falamos disso. A própria expressão "sobrenatural" é um pouco bizarra. Não, acho que existe uma única natureza, que em compensação é espantosa.
- E todos aqueles fenômenos de que falam os livros que me mostraste?
- Todos os verdadeiros filósofos devem manter os olhos abertos. Mesmo que não tenhamos visto nenhum corvo branco, não devemos deixar de o procurar. E um dia, mesmo um céptico como eu será obrigado a aceitar um fenômeno em que não acreditara anteriormente. Se não mantivesse aberta esta possibilidade, seria um dogmático, e não um verdadeiro filósofo.
Sofia e Alberto ficaram sentados no banco em silêncio.

Gaarder,J. O Mundo de Sofia.
(paginas 307 a 309)


O referido livro pode ser baixado nesse link. Ele também pode ser facilmente encontrado em qualquer livraria, embora seu preço continue um tanto salgado (mas vale cada centavo).
3 - Mas afinal, pensamento positivo funciona mesmo?

Depende. É obvio que uma postura “positiva” e autoconfiante em relação a vida te ajudará a viver melhor. Mas isso é um fenômeno psicológico facilmente explicável, e não tem nada de metafísico: Se você adquirir tal postura perante a vida obviamente vai passar a enxergar melhor as “coisas boas”, bem como superar melhor as “ruins”. Nada de excepcional nisso.
Agora, daí pra esperar que as coisas surjam milagrosamente no seu colo por conta disso é uma diferença enorme...
Na verdade, a reportagem sobre o tema na Super Interessante deixou isso bastante claro. A única coisa que eu achei que faltou foi uma postura mais “agressiva” quanto as baboseiras do livro, um ataque mais direto (sutíleza é o caralho. quero é porraaaaadddaaaaaa!!!).

4 - E por ultimo: se a técnica do segredo funcionasse mesmo...

... eu acharia dinheiro toda vez que eu saio na rua.
... eu teria traçado todas as minas gatinhas na minha adolescência.
... eu teria adquirido super-poderes na adolescência.
... meus animais de estimação não morreriam nunca.
... pedófilos, ditadores e outros bostas morreriam de modo fulminante.
... meu blog seria o mais acessado do mundo :P.

Ahhh... e só pra constar: nunca acho grana na rua, não comia ninguém na aborrecencia (nerds... :P), nunca ganhei poderes, enterrei vários gatos e cachorros, Sadam não morreu por minha causa, e quase ninguém visita esse blog... :P

PS1: Aproveitem o link da Super Interessante – todo o conteúdo já publicado está disponível e free lá.

PS2: provavelmente esse blog só terá um novo post segunda ou terça-feira. Não estranhem :P (alias, vocês deviam era estranhar posts freqüentes...)

* A Austrália também é o país da autora de O Segredo (Rhonda Byrne). Um dos gurus fajutos de “Lost” também era de lá... to achando que há um padrão ai ;-)


7 comentários:

Ana disse...

Hummm... tô ficando com a impressão de que a gente tá alimentando essa merda falando tanto disso... credo!

Deviamos tembém escrever uma besteira dessas com ares bastante cientificos (e eis que então uma formação em Ciências[?] Humanas ia ter utilidade) e tentar ganhar algum dinheiro. Porque a bunda eu não me disponho a balançar na TV. E acho que não ia mesmo fazer muito sucesso... ahahahahahaha.

Vou pensar em algo...

Bjs

César A. disse...

Alvaro, tudo bem?
Gostaria de saber se vc topa fazer uma parceira com meu blog (Fronteiras no Tempo). Andei lendo o seu e decidi propor isso, pois gostei bastante do que li.
Dê uma passada lá e me responda, blz?

http://fronteirasnotempo.blogspot.com

Abraço

César disse...

Alvaró, eu havia pensado em uma troca de "banners" (vc tem um para me passar?) - simplesemte sites amigos. Embora a idéia de produzir material para os dois blogs seja bem interessante, porém, não posso me comprometer essa altura do campeonato com muitas coisas, pois ando bem atarefado. Mas quem sabe num futuro. Por enquanto uma troca de links já está de bom tamanho. Se vc tiver o banner me passa que eu coloco no fronteiras.
Abração

Guilherme Kroll disse...

Opa, Alvaro Trigo, que bom que vc gostou da crítica do livro no Homem Nerd.

aspen-bh disse...

Revistas de massa como Superintesessante e Galileu precisam agradar racionalistas e místicos ao mesmo tempo, pois dependem do dinheiro de ambos. É por isso que só ficam em cima do muro, prestanto um péssimo serviço tanto a uns quanto outros. O ideal é fugir dessas bombas.

Alvaro disse...

Grto, Xará por ter citado minha crítica.

widson porto reis disse...

Oi Alvaro,

Pesquisando sobre esse filme achei o seu blog e gostei.

Você vai gostar de saber que eu estou escrevendo uma trilogia sobre O Segredo, do qual já saiu a primeira parte (daqui mais alguns dias sai a segunda).

http://dragaodagaragem.blogspot.com/2007/11/o-guia-ctico-para-assistir-o-segredo.html

Um abraço
Widson